• Bewell Portugal

5 SINAIS que indicam que o BURNOUT Chegou à Sua Equipa


5 Sinais que indicam que o burnout chegou à sua equipa

O Burnout, também conhecido como síndrome do esgotamento profissional, foi recentemente classificado como doença pela Organização Mundial de Saúde, que o caracteriza como “um síndrome que resulta de um stress crónico no local de trabalho que não foi bem gerido”, referindo-se “especificamente a fenómenos no contexto profissional”.


Associado ao stress vivido no ambiente empresarial e resultando em exaustão, frustração e atitudes negativistas, o burnout não é resolvido com períodos de férias ou de pausa.


O burnout afeta não só os colaboradores, como todo o ambiente de trabalho de uma empresa.


Dados de stress no local de trabalho - Bewell Portugal

Em Portugal, a Associação de Psicologia da Saúde Ocupacional estimou que 17,3% dos trabalhadores portugueses estão em burnout.


Calcula-se que esta doença custe, por ano, mais de 325 milhões de euros às empresas, essencialmente pela quebra de produtividade gerada pelo absentismo.


Uma coisa é certa: o burnout não se desenvolve da noite para o dia, mas há sinais de alarme que podem escapar a líderes menos atentos.



Para ajudar a identificar se o burnout chegou à sua equipa, reunimos 5 dos sinais mais comuns:



1. AFASTAMENTO E ISOLAMENTO


Socializar está na génese do ser humano e, salvo raras exceções, todos nós procuramos unir-nos em torno de algo comum. Quando tal não acontece e a falta de entusiasmo, o afastamento e o isolamento prevalecem por várias semanas, resultando numa redução da produtividade, poderá estar perante um sinal de alerta.


Burnout nas empresas

Todos temos direito a ter um dia mau, mas se um membro da sua equipa que antes se mostrava entusiástico e extrovertido perdeu o interesse em participar nas atividades laborais, tais como reuniões, almoços de equipa ou atividades de team building, este comportamento merece ser investigado mais a fundo.


No caso de colaboradores mais introvertidos, este sinal de alerta poderá ser camuflado pela própria personalidade do indivíduo, pelo que a sua atenção deverá ser redobrada.


2. AUMENTO DO ABSENTISMO


Existem inúmeras causas que poderão estar na raiz do absentismo e, enquanto que algumas se devem a motivos de saúde mais ligeiros, noutros casos poderá existir algo mais por trás de uma situação de faltas sucessivas por parte de um colaborador.


Colaboradores que tiram dias de férias ou se ausentam por doença de forma sucessiva podem estar a acusar desgaste a nível psicológico e físico e esta situação pode ser, assim, indício de burnout.


Algumas pessoas tendem a tirar algum tempo de folga ou a serem menos pontuais para evitar interações com colegas ou chefias que lhes causam stress.


Esteja atento à assiduidade da sua equipa e procure manter um canal de comunicação aberto e bilateral com todos os elementos.