• Bewell Portugal

Importância da Saúde Mental no Trabalho

Tal como a saúde física, a saúde mental e a saúde emocional são essenciais para o bom funcionamento de um ser humano.


Em Portugal, à semelhança do resto do mundo, vemos grande parte dos profissionais com problemas de ansiedade, depressão, burnout e outros que afetam a qualidade do seu trabalho e relacionamento com os colegas, chefias e até clientes. 


Neste artigo exploramos:

  • O que é a saúde mental?

  • Causas dos distúrbios de saúde mental nos colaboradores ( Pré Covid)

  • Falta de cuidado com a saúde mental dos colaboradores

  • Como implementar um programa preventivo de saúde mental


Infelizmente, este problema tem-se agravado nos últimos anos e, quando voltamos a nossa atenção para a atitude das empresas face a esta situação, o caso torna-se alarmante.


Ainda assim, de acordo com o Emotional Health Survey 2019, 58% das empresas em todo o mundo admitem estar a desenvolver estratégias de bem-estar e 81% acredita que a saúde emocional se tornará uma prioridade nos próximos três anos.

Depois de uma situação pandémica sem precedentes na Era Moderna, esta preocupação passou a ser uma prioridade imediata e queremos acreditar que este será um tema que necessitará de muito apoio e investimento por parte das empresas para recuperarem o seu capital mais valioso - AS SUAS PESSOAS .


Mas como garantir o bem-estar mental no trabalho e qual o impacto que a prevenção tem na produtividade da sua equipa?

O que é a saúde mental?


A saúde mental e emocional é a qualidade de vida em relação à cognição e equilíbrio emocional ou seja, é estar bem consigo e com os que o rodeiam.


É saber aceitar e lidar com emoções e situações adversas ( e que desafio nos foi

posto neste momento relativamente a adversidades) , sem comprometer a sua integridade e a dos outros ( o medo da doença e da morte pelo vírus são a expressão suprema deste comprometimento).


A saúde mental é um dos principais aspetos da saúde e é fundamental para a qualidade de vida de um ser humano.


Assim, surge a necessidade urgente das empresas agirem de forma a garantir a saúde mental dos seus colaboradores, promovendo de forma preventiva quer o ambiente de trabalho para o qual as pessoas têm de regressar e também a saúde mental individual dos colaboradores. 

  • Os seus colaboradores vão voltar! E agora ?

  • Como vão voltar ? Que pessoas teremos nas nossas empresas? Serão pessoas super motivadas para refazer e reconstruir as empresas ou serão pessoas desgastadas pelo medo, pela depressão e ansiedade?

  • E o que fazer agora para apoiar essas pessoas? 


Causas dos distúrbios de saúde mental nos colaboradores ( Pré Covid)


A Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho enumerou um conjunto de condições de trabalho que podem levar a riscos psicossociais e afetar a saúde mental dos colaboradores:


1. Volume de trabalho excessivo e prazos apertados

2. Exigências contraditórias

3. Falta de clareza relativamente ao que é exigido ao colaborador

4. Comunicação deficiente

5. Mudanças organizacionais mal geridas



Para além destes fatores, também o bullying e o assédio no trabalho foram indicados como causas de stress relevantes nas empresas.


Falta de cuidado com a saúde mental dos colaboradores


A ansiedade e o stress são as grandes causas do surgimento de doenças mentais e podem ser combatidos, no meio empresarial, através de programas de prevenção. 


Um funcionário mentalmente feliz e saudável tem maior capacidade para enfrentar a pressão do trabalho e desempenhar as suas funções com qualidade, enquanto fomenta as relações interpessoais com a sua equipa.

Um clima organizacional que favorece um bom desempenho por parte dos colaboradores, além de ajudar a atingir os objetivos da empresa e reduzir o índice de acidentes de trabalho, também tem implicações ao nível dos custos da empresa com a saúde dos seus funcionários.


Um colaborador deprimido falta mais e tem uma produtividade reduzida. Por norma, as ausências relacionadas com stress tendem a ser mais prolongadas do que outras.


Um colaborador deprimido falta mais e tem uma produtividade reduzida. Por norma, as ausências relacionadas com stress tendem a ser mais prolongadas do que ausências por outras causas.


Depois de grandes ausências é muitas vezes requerido que o funcionário passe a desempenhar outras funções ou mude de departamento mas por norma, esta deslocação exige da empresa e da própria pessoa um investimento considerável e desgastante.


Os riscos psicossociais decorrem também de um contexto social pouco saudável, nomeadamente em situações como:


  • Falta de apoio das chefias e colegas;

  • Relações interpessoais complicadas;

  • Assédio, violência e agressão;

  • Dificuldade em conciliar os compromissos profissionais e familiares ( work-life balance)


Contribuem para o aumento do risco os contratos de trabalho precários e instabilidade profissional e o envelhecimento da população trabalhadora.


Assim, para uma empresa que procura atingir os seus objetivos, é muito importante ter em conta a saúde mental dos trabalhadores e proporcionar um ambiente saudável.

Como implementar um programa preventivo de saúde mental? 


É importante entender que, muitas vezes, um problema de saúde mental não advém apenas do trabalho, dado que é impossível desvincular por completo os problemas da vida pessoal e da vida profissional.


No entanto, é no trabalho que as pessoas passam a maior parte do seu tempo e, por isso, as empresas têm um papel estratégico fundamental na hora de prevenir este cenário.


E como pode a empresa atuar para se tornar um canal orientador e fomentador de uma boa saúde mental dos colaboradores (individualmente e como equipa):


1. Fazer um bom Diagnóstico


Um programa de saúde mental de sucesso começa com um bom diagnóstico. É fundamental investigar e perceber em que realidade se encontram as pessoas na nossa empresa.. cada pessoa é um caso e cada empresa tem o seu ADN.


Não tente generalizar, tente perceber concreta e objetivamente as "suas" pessoas no contexto da sua empresa. A partir daqui pode então começar a mapear causas e riscos para os colaboradores e finalmente desenvolver um plano de ação adequado e assertivo.


Nesse processo que deve ter por base um questionário, poderá também colocar algumas das soluções que pode implementar e auscultar os seus colaboradores sobre as suas preferências e necessidades.


2. Elaborar o Plano de ação


Depois de avaliar as preferências e necessidades da equipa e, enquadrando o orçamento disponível para o investimento, chega então o tempo de traçar um plano de ação com os seguintes passos:


2.1- Convoque a sua equipa de comunicação e inclua-os no seu plano de ação; é imperativo que a mensagem de apoio seja transmitida com clareza, de uma forma consistente e com a participação de todos na empresa, desde as chefias até aos operacionais.


2.2 - Permita a inscrição nas várias modalidades de uma forma individual, facultativa e discreta.


Muitas pessoas sentem-se expostas quando se fala na sua saúde mental e é importante que se sintam seguras em participar em ações nesta área.


2.3 - Tenha ferramentas individuais e de grupo ( ex. sessões individuais de psicologia e fóruns sobre burnout ou gestão de stress)


2.4 - Parte do seu programa ( comunicação digital/física ) deve chegar a toda a equipa como, dicas sobre saúde, links com música relaxante, apps de meditação …No seu programa informativo permita a interação das pessoas e incentive-as a deixarem testemunhos, receitas saudáveis,…


2.5- Seja ponderado no seu programa. As pessoas nas empresas têm agendas muito cheias. Permita uma distribuição do seu programa de uma forma espaçada no tempo para que as pessoas possam ir participando sem sentirem que para isso terão de compensar muitas horas no horário pós laboral. Organize um calendário espaçoso, ponderado e exequível.


3. Algumas ações que pode incluir:


  • Sessões de Mindfulness ( online ou presencial)

  • Fóruns com psicólogos

  • Sessões individuais de psicoterapia ( online ou presencial)

  • Linhas de apoio com psicoterapeutas

  • Comunicação de apoio às equipas em termos de saúde mental ( artigos, dicas, apps de controlo de stress, )

  • Aulas de Ginástica Laboral Online ( o foco no exercício traz ganhos físicos mas também permite a cabeça "descansar" dos pensamentos e problemas)

  • Aulas de ginástica laboral, yoga ou outras para quem se mantenha em teletrabalho

  • Workshops sobre Gestão de Stress, Burnout ou Resiliência e Otimismo

  • Investimento num ambiente saudável e eclético ( boa alimentação, incentivo ao exercício físico em segurança, aromaterapia no escritório ou musicoterapia…)


Existem várias ações, recorrentes ou pontuais, que deverão ser incluídas no plano, como forma de prevenir problemas de saúde mental e controlar o ritmo de trabalho.



A sua eficácia irá depender do diagnóstico e objetivos do programa. 

É importante relembrar que do mesmo programa deverá fazer parte uma política de comunicação bidirecional e aberta, com diálogos e interações constantes, como forma de aliviar a pressão do dia-a-dia no trabalho e tornar as relações mais empáticas.



Para obter resultados positivos, o plano deverá ser promovido por todos os elementos da empresa, das chefias à equipa.

Lembre-se, pessoas saudáveis são mais inspiradoras, inovadoras, motivadas e produtivas.




Topo

Contactos

Av. Bombeiros - Caramão da Ajuda -Restelo, Lisboa, Portugal

Móv  (+351)  914 64 77 90

virnamartins@bewell.pt

SOCIALIZE Conosco

  • LinkedIn Bewell
  • Facebook Bewell